Solidariedade sempre presente

CAM-CCBC incorpora cada vez mais a responsabilidade social ao seu DNA

Por Sérgio Siscaro

A necessidade de olhar para a sociedade ao nosso redor e atuar de forma solidária foi marcante ao longo de 2020. O surgimento e rápida disseminação do novo coronavírus SAR-CoV-2, causador da Covid-19, levou empresas privadas e organizações em todo o mundo a unirem esforços para combater a doença – ou pelo menos mitigar suas consequências.

Em tempos tão desafiadores, o CAM-CCBC não poderia se omitir.  Afinal, o Centro já vinha marcando sua atuação, nos últimos anos, por um firme compromisso com as melhores práticas de responsabilidade social. Assim, ao mesmo tempo em que manteve suas atividades na forma virtual, garantindo a segurança de suas equipes e dos participantes dos procedimentos que realiza, o CAM-CCBC também entrou na luta contra a Covid-19 – levantando recursos para doações e utilizando seu papel de influenciador na comunidade que trabalha com métodos alternativos para a solução de controvérsias (ADRs, em inglês) para mobilizar também esta comunidade a se engajar nesses esforços.

“Entendemos que as instituições devem permanecer conscientes de sua responsabilidade social, mantendo suas atividades rotineiras, assim como no incentivo de projetos de alcance social amplo e diverso. Acreditamos que, nesta crise sem precedentes, não podemos ajudar a todos, mas todos podem ajudar alguém”, afirmou recentemente a presidente do CAM-CCBC, Eleonora Coelho, ao blog NewGen.

Foco em iniciativas sociais

Os webinars foram a principal via de contribuição social do CAM-CCBC. O Centro sempre teve como importante característica a realização de eventos reunindo a comunidade das ADRs, nos quais especialistas debatem os principais temas e tendências em arbitragem e mediação. Devido à pandemia, foi necessário transformar esses eventos presenciais em virtuais – e, ao fazê-lo, o CAM-CCBC passou a divulgar projetos sociais e estimular a realização de doações por parte dos participantes a instituições sociais.

Algumas das iniciativas divulgadas foram o Plano de Enfrentamento ao Novo Coronavírus, do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), os trabalhos do Instituto Pró-Saber SP e do Projeto UM.

No combate à Covid-19

Outra forma de o CAM-CCBC contribuir para a sociedade em um momento tão difícil foi a decisão de rever a sua verba de patrocínio no congresso anual do Comitê Brasileiro de Arbitragem (CBAr) para o Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) – e, dessa forma, apoiar as ações de combate à Covid-19.

O valor doado foi utilizado pelo HC para a compra de equipamentos, insumos e disponibilização de leitos – fatores indispensáveis para que se pudesse salvar o maior número possível de vidas. “A doação foi feita em nome do CAM-CCBC, CBAr e de cada um dos convidados que participariam de nossa festa de abertura do Congresso. O objetivo do CAM-CCBC foi manter a confraternização da comunidade arbitral, mas desta vez ao redor da solidariedade e da ajuda ao próximo”, afirmou Coelho na ocasião, em nota conjunta assinada com o presidente do CBAr, Giovanni Nanni.

Defesa do meio ambiente

Realizado em outubro, o VII Congresso de Arbitragem do CAM-CCBC foi histórico. O evento conseguiu migrar, com sucesso, suas atividades para um modelo híbrido, combinando transmissão online com a participação de alguns palestrantes em um estúdio de gravação. E, além disso, o Congresso foi marcado pela preocupação do Centro em contribuir de forma assertiva em ações de responsabilidade social.

O CAM-CCBC reverteu 10% da receita total obtida com as inscrições de participantes do Congresso para o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) – entidade que promove a valorização e uso sustentável de recursos naturais, ao mesmo tempo em que procura alternativas para a conservação ambiental, o desenvolvimento social e a mitigação dos efeitos da crise climática.

“O contato com o CAM-CCBC veio em um momento onde a Amazônia se encontra em uma situação muito frágil, pois os olhos do mundo estão voltados para a pandemia da Covid-19. Enquanto isso, a ação de desmatadores continua acontecendo de forma desenfreada”, afirma a diretora executiva do Idesam, Paola Bleicker. “Parcerias como essa, de fortalecimento institucional, ajudam diretamente a alavancar a missão do instituto, na promoção um ambiente sustentável e socialmente mais justo”, complementa.

SPAW: R$ 8 mil em doações

Da mesma forma, a terceira edição da São Paulo Arbitration Week (SPAW), em outubro, também foi utilizada como um instrumento de estímulo à responsabilidade social. Os organizadores dos eventos inscritos na SPAW foram incentivados a patrocinar uma entidade social de sua escolha. Foi estabelecido,  como requisito para a inclusão do evento na agenda compartilhada, a cobrança de uma taxa de inscrição simbólica e mínima de R$ 100 (embora contribuições maiores foram muito bem recebidas). Tais valores foram revertidos em doações.

Com essa iniciativa, a SPAW arrecadou, em seus sete dias de duração, mais de R$ 8 mil em doações direcionadas as instituições sociais. Tudo isto foi possível graças à ação coordenada de escritórios de advocacia, universidades, associações e instituições diversas, do Brasil e do exterior.

Conheça também a
X