Confira as estatísticas sobre participação de mulheres na arbitragem

Empenhado em promover a causa, o CAM-CCBC passou a divulgar no site as estatísticas de seus esforços em favor da igualdade de gênero. A partir de uma resolução publicada em fevereiro de 2018, o Centro se comprometeu oficialmente com a promoção da maior participação feminina na arbitragem.

De acordo com o documento, as mulheres devem compor pelo menos 30% do total de palestrantes em eventos que o Centro apoia, organiza ou patrocina. O mesmo vale para a formação de grupos de pesquisa, comissões, forças-tarefa, comitês, entre outros. A instituição tem até dois anos para se adaptar às novas regras e os dados relacionados à representatividade de gênero serão publicados semestralmente em seu site.

“Muitos grupos já entenderam a importância do respeito à diversidade. Estudos e práticas mostram que além de trazer maior bem-estar a diversidade tem o poder de impulsionar os resultados institucionais”, ressalta Eleonora Coelho, Presidente do CAM-CCBC.

Confira alguns dos principais números:

Comitês Especiais*

Homens

Mulheres

3

9

25%

75%

*Formados quando uma das partes entra com impugnação contra a indicação de um árbitro. Esses comitês decidem se a impugnação faz ou não sentido.

Indicação de árbitros

Ano

Mulheres (dentro do total indicado)

Partes

18%

Co-árbitros

35,4%

CAM-CCBC*

66,6%

*Quando há necessidade de indicação de um árbitro pelo presidente do Centro

Lista de árbitros recomendados pelo CAM-CCBC

Ano

Mulheres

2017

24%

2018

27%

2019 (até o momento)

28%

 

Conheça também a
X