Jovens estudam técnicas de negociação de Harvard para competição no Japão

O advogado Pedro Marques tem pouco mais do que dois anos de formado. E é exatamente isso que o diferencia dos coaches que participam das grandes competições acadêmicas do Direito – em geral, profissionais e mestres com muitos anos de vivência em escritórios ou empresas. O jovem advogado e sua colega Beatriz Assef, formada na mesma época, realizaram um grande feito. Apoiados pelo CAM-CCBC, eles vão representar o Brasil na International Negotiation Competition 2019 (INC), em Tóquio.

À dupla se juntou o estudante do sétimo período de Direito Danilo Moraes, da Universidade Federal Fluminense (UFF), de Niterói (RJ). O papel de Pedro e Beatriz é ajudar Danilo a se sobressair nas negociações que terá de realizar com outros participantes durante a competição. Além da dedicação de Danilo, o sucesso dessa empreitada vai depender muito do que foi planejado para os treinamentos do estudante, sob responsabilidade dos coaches.

Rumo a Tóquio

A trajetória até a capital japonesa começou em março deste ano, quando o estudante ficou em segundo lugar na etapa regional Sudeste do Meeting de Negociação de Harvard. Na sequência, ele venceu a seletiva nacional do Meeting, em abril, que envolveu quase 20 equipes em Belo Horizonte. A vitória o credenciou a participar do evento no Japão. “O desafio acabou sendo maior a partir da fase nacional, quando Danilo passou a atuar sem o outro estudante que formava dupla com ele, pois o rapaz teve que se afastar por motivos pessoais”, explica Pedro.

Ainda que em dupla seja mais fácil atuar em uma competição de Negociação, o que auxilia na argumentação com os concorrentes e na troca de ideias, a atitude repentina não abateu Danilo nem os seus coaches. Pedro conta que no preparo para cada etapa ele se encontra pelo menos três vezes por semana com Beatriz e o estudante. Na função de coach, o advogado se dedica pelo menos três horas por dia ao que ele chama de “facilitar a vida do competidor”.

E facilita mesmo. Uma das tarefas de Pedro e Beatriz desde março foi ler oito livros e preparar uma apostila com resumos e informações adicionais para o estudante. Eles examinaram diversos casos juntos, tiveram o apoio de uma professora de inglês especializada na área jurídica e se debruçaram sobre as técnicas de negociação de Harvard, modelo desenvolvido na universidade americana que guia as negociações da competição.

Os coaches também são responsáveis por antecipar situações que o estudante pode enfrentar em meio a uma negociação, orientá-lo sobre fala e oratória, traçar uma estratégia eficiente para o competidor alcançar o que deseja no processo, bem como trazer dados sobre o cenário de determinados setores da economia. “Na etapa nacional, por exemplo, estudamos a fundo o mercado de Petróleo e Gás, relacionado a um dos cases propostos”, conta Pedro.

Competição itinerante

A cada ano a International Negotiation Competition é organizada em uma cidade diferente, tendo passado por Noruega, Suíça, EUA, Canadá, Singapura, entre outros. Em 2019, será realizada em Tóquio, no Japão, entre os dias 5 e 10 de julho, e contará com equipes de 27 países.

Conheça também a
X