Centro torna-se mais online e diverso

Modelo remoto e aumento da diversidade das equipes foram as principais novidades de 2020, e deverão continuar neste ano

Por Sérgio Siscaro

Não há dúvidas de que 2020 foi um ano bastante complexo. Para o CAM-CCBC, o desafio foi o de manter suas atividades normais, adaptando-as aos protocolos de segurança e distanciamento social trazidos pela pandemia do novo coronavírus. Essas adaptações não impediram que o Centro continuasse a prestar serviços de reconhecida qualidade em procedimentos de arbitragem e mediação. E também não interromperam o processo de renovação em sua estrutura organizacional, com vistas a incorporar, cada vez mais, a diversidade.

De acordo com a assessora de Desenvolvimento Institucional do Centro, Ana Flávia Furtado, o ano passado foi bastante importante nesse sentido. “Em 2020 percebemos o quanto é importante o CAM-CCBC estar em linha com as discussões que ocorrem na sociedade. Isso fez com que avaliássemos internamente os valores importantes para a organização – como a responsabilidade social e a diversidade”, afirma.

Esse ponto é ressaltado pela assistente de Gestão de Pessoas da CCBC, Daiane Garritano. “Para o CAM-CCBC, sempre buscamos profissionais que queiram trabalhar com arbitragem ou tenham alguma experiência nessa atividade. Além do aspecto técnico, sempre levamos em consideração o aspecto da diversidade”, afirma. Ela conta que a organização instituiu em 2020 um Comitê de Diversidade, que está atuando com diversas ações de inclusão, e está investindo fortemente na contratação de pessoas negras, público LGBTQ+, e profissionais de todas as idades e regiões do país. “Queremos acelerar essas atividades em 2021”, complementa.

A diretora-executiva de operações da CCBC, Cássia Regina Vanícola, conta que desde o início do ano passado já haviam sido discutidos temas ligados à diversidade. “Conversamos internamente e a presidente do CAM-CCBC deixou clara a necessidade de aumentarmos os níveis de diversidade na instituição – especialmente os da diversidade racial”, afirma. Ela informa que o Comitê de Diversidade será o fórum para a discussão e desenvolvimento de novas formas de ampliar a diversidade.

Desafios da pandemia

Outro importante fator que testou a capacidade de adaptação do CAM-CCBC em 2020 foram as limitações trazidas pela pandemia da Covid-19 – e a utilização massiva de ferramentas de comunicação virtual. “Houve uma rápida adaptação das equipes do Centro ao novo modelo digital; tivemos inclusive pessoas que ingressaram na organização sem ainda conhecer sua sede física”, pondera Furtado.

Garritano salienta que um dos desafios de 2020 foi o de aplicar um modelo de trabalho à distância para as equipes. “No início foi mais difícil, mas agora já estamos mais adaptados. É um modelo que devemos continuar adotando em 2021”, afirma, informando que os novos colaboradores já recebem toda a infraestrutura e apoio tecnológicos necessários para a atuação virtual.

Esse ponto também é destacado por Vanícola. “De uma hora para a outra, tivemos de solicitar que 100% de nossas equipes começassem a trabalhar em home office. A estrutura de Tecnologia da Informação (TI) ficou toda à disposição. Em paralelo, buscamos implementar iniciativas diversas para apoiar as equipes nesse momento desafiador – como criar ‘salas de café’ virtuais, oferecer aulas de ioga e de meditação, e apoio de psicólogos”, conta.

Novo momento

O sucesso da adaptação do CAM-CCBC ao modelo virtual, assim como o fortalecimento da diversidade em suas equipes, são aspectos que deverão continuar a ser perseguidos em 2021. “Iremos aprofundar nossas metas para aumentar os níveis de diversidade no Centro – desenvolvendo o tema cada vez mais em nossa cultura, tanto no que se refere ao Centro quanto à comunidade que atua com métodos alternativos para a solução de controvérsias (ADRs, em inglês) como um todo”, afirma Furtado. “No que se refere à virtualização dos procedimentos, este é um ponto que deve permanecer – mesmo que seja adotado um modelo híbrido após a pandemia”, pondera a diretora-executiva da CCBC.

Conheça também a
X