Como o cônsul-geral do Canadá em SP ajudou a fortalecer a CCBC

O cônsul-geral do Canadá em São Paulo, Stéphane Larue, se despede depois de seis anos ocupando o posto na cidade. Casado com uma brasileira, aprendeu a fazer feijoada e se encantou com o sanduíche de pernil do tradicional bar Estadão, no Centro. Essa proximidade com a cultura local também se refletiu em suas atividades no Consulado. Além da forte parceria com a CCBC, Larue deixará outros legados importantes, como sua participação na revitalização da Câmara.

Em 2014, um comitê formado por associados, o cônsul e a então presidente da CCBC, Esther Nunes (2013-2017) planejou uma série de mudanças, que ajudaram a moldar o que a instituição é hoje. Uma das novidades foi a contratação de um executivo permanente com experiência no mercado e em comércio exterior. “Considerando a alternância de mandato dos presidentes, a ideia era que a presença desse profissional reforçasse a estabilidade e a continuidade da gestão da instituição”, explica Larue.

O comitê incentivou também o reposicionamento da CCBC com a criação das comissões setoriais e a contratação de uma agência de branding.

A relação entre a Câmara e o Consulado, que se reflete em uma série de eventos conjuntos, é motivo de admiração entre representantes canadenses alocados em outros países. “Converso com colegas de consulados diferentes e eles não fazem tantos eventos ao lado das câmaras de comércio locais, existe uma distância maior. Aqui em São Paulo nossa relação é única”, destaca o cônsul-geral.

As parcerias vão da participação em eventos no Canadá a encontros em diversas cidades do Brasil, como roadshows, seminários, missões e rodadas de negócios. Uma das ocasiões mais marcantes foi em 2017, nas atividades dos 150 anos do Canadá. Foi realizado um grande show com músicos brasileiros e canadenses no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, além de uma homenagem ao país da América do Norte no Festival de Cinema de Gramado.

A despedida do cônsul vai ser o encerramento também de uma carreira diplomática de três décadas. Seus planos são retornar para o Canadá, passar alguns meses em Ottawa e se estabelecer em Montreal, que considera uma cidade dinâmica, com uma comunidade brasileira importante, amigos e ótimas oportunidades profissionais. “Vou me dedicar a atividades de desenvolvimento comercial, recrutamento de talentos e atração de investimentos”, conta.

Esta foi a segunda passagem de Larue por São Paulo. Entre 2001 e 2004, ele atuou como immigration program manager, responsável por supervisionar programas de imigração e vistos.

Mensagem especial para a próxima cônsul

Desde 2013 no cargo, Larue encerrará sua missão no Brasil em setembro e será substituído por Heather Cameron, atualmente alta comissária em Gana, com experiência em países da América Central, Oriente Médio e África.

Admirador da diversidade cultural da cidade, ele sugere que a nova cônsul aproveite “museus, shows, exposições e alguns dos melhores restaurantes do continente”. Quando o assunto é o trabalho no Consulado, Larue tem a resposta na ponta da língua. “Minha sugestão é que a primeira visita da nova cônsul seja na CCBC”.

Conheça também o
X