Uma nova forma de ir ao museu

Empresa canadense 3rdi Lab entra no Brasil com aplicativo de realidade aumentada para visitantes do Museu Catavento


Por Sérgio Siscaro

Steve Jobs, fundador da Apple, sempre dizia que seu objetivo era atuar na intersecção entre as humanidades e a tecnologia. A empresa canadense 3rdi Lab, especializada em desenvolver ferramentas tecnológicas de realidade aumentada com apoio de inteligência artificial, tem demonstrado como a união desses dois universos pode ser bem-sucedida. A companhia acaba de lançar, em conjunto com o Museu Catavento, em São Paulo (SP), um aplicativo para telefones celulares que permitirá aos visitantes ter acesso a conteúdos inéditos sobre o acervo da instituição.

Fundada em 2018, a 3rdi Lab desenvolve tecnologias voltadas a fornecer ao mercado de arte e cultura ferramentas que permitam acesso a narrativas imersivas por meio da inteligência artificial. A empresa faz parte do Canada Hub, iniciativa da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC) que oferece a empresas canadenses todas as condições para se estabelecerem no Brasil – desde o apoio mercadológico, por meio de levantamento de oportunidades e identificação de possíveis parceiros de negócios, até apoio na parte burocrática, como a disponibilização de um endereço legal no país.

O CEO e fundador da 3rdi Lab, Raj Nayak, afirma que esse apoio foi essencial para que a chegada ao Brasil se tornasse uma realidade. “Logo que iniciamos as negociações com o Museu Catavento, eles nos solicitaram que estivéssemos registrados como uma empresa local no Brasil. Por meio dos trade comissioners do Canadá no país, fomos imediatamente conectados ao Canada Hub, que nos registrou localmente, nos forneceu um endereço legal aqui no Brasil e nos deu acesso a serviços de inteligência de mercado, que muito nos ajudaram a nos familiarizarmos com o ambiente de negócios daqui – e a nos estabelecermos como uma empresa no Brasil”, afirma.

Segundo o executivo, as negociações com o Museu Catavento tiveram início em julho do ano passado. No Canadá, o 3rdi Lab manteve um projeto com a Art Gallery de Nova Escócia – interrompido por conta dos efeitos da pandemia da Covid-19 sobre o volume de visitantes. “O Canadá também é um pouco mais conservador com relação à introdução de ferramentas inovadoras nos museus. Isto é um pouco surpreendente, uma vez que no passado essas instituições eram mais abertas ao uso da tecnologia.”


Experiência imersiva


Tendo já registrado uma visitação anual total de 38,46 milhões de pessoas a museus em 2018 (volume que caiu para 7 milhões em 2020, por conta da pandemia), o Brasil representa uma oportunidade de negócios bastante importante para empresas que, como a 3rdi Lab, desenvolvem soluções inovadoras que permitam enriquecer a experiência dos seus visitantes.

Prova disso é o fato de que, apenas em São Paulo, o Canada Hub identificou para a empresa canadense uma série de instituições que poderiam utilizar a sua tecnologia de realidade aumentada. Elas incluem a Pinacoteca do Estado de São Paulo, o Museu de Arte Moderna (MAM), o Museu da Imigração, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP) e o Museu Afro Brasil, entre outras.

Nayak lembra que o Brasil está entre os países que mais arrecadam recursos com a venda de ingressos para museus no mundo – o que o torna um mercado bastante importante para a ferramenta desenvolvida pela 3rdi Lab. “Temos mantido conversas com outras instituições no Brasil, como o Museu da Imagem e do Som (MIS), o Museu do Futebol, o Museu da Língua Portuguesa e o Museu de Arte de São Paulo (Masp). Em setembro, o Museu do Ipiranga será reaberto, e há a possibilidade que possamos desenvolver algo também para lá. Há muita coisa acontecendo no Brasil para nós, e o Museu Catavento foi um excelente lançamento para nós”, avalia.


Conteúdo extra


A solução de realidade aumentada desenvolvida pelo 3rdi Lab para o Catavento utiliza inteligência artificial no reconhecimento das imagens que são focadas pelas câmeras dos celulares dos visitantes, disponibilizando áudios, vídeos e animações sobre os diferentes espaços do Catavento e sobre a história do edifício onde ele está instalado – o histórico Palácio das Indústrias, construído no início do século XX e que já foi sede da prefeitura de São Paulo. Em uma primeira etapa, estarão disponíveis conteúdos de 13 locais estratégicos do museu.

O lançamento da ferramenta foi feito no final de março, aproveitando as comemorações do 13º aniversário do museu. Agora, todos os visitantes têm acesso à nova tecnologia no ato de compra dos ingressos.

X