Um olhar no setor de saúde canadense

Missão promovida pela CCBC leva brasileiros para conhecer como funciona o sistema hospitalar do Canadá, e abre possibilidade de cooperação bilateral


Por Sérgio Siscaro

Especialistas e representantes da área hospitalar brasileira tiveram a oportunidade de conhecer de perto, no mês passado, como funciona o sistema de saúde canadense. A missão internacional Health Innovation Canada, promovida pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC) em parceria com a Quality Global Alliance (QGA) entre 17 e 24 de setembro, levou um grupo de 11 participantes para visitar hospitais de Toronto e Montreal e conhecer como o sistema de gestão e a integração da tecnologia ao setor hospitalar são aplicados no Canadá.

Os participantes visitaram hospitais e hubs de inovação em saúde nas duas cidades, além de terem travado contato com empresas desenvolvedoras de soluções inovadoras para o setor. “O Canadá é uma referência nessa área. Além das visitas aos hospitais, também foram realizados encontros com empresas que desenvolvem tecnologias para o setor de saúde, além de órgãos ligados à administração pública”, comenta o consultor de negócios internacionais da CCBC, Armínio Calonga Jr.

Inovação na prática

Os centros hospitalares visitados durante a missão incluíram, entre outros, o Centre Hospitalier de l’Université de Montréal (Chum), considerado o hospital canadense mais inovador de 2021; o McGill University Health Centre (MUHC), um dos maiores e mais modernos centros de saúde da América do Norte; e o Humber River Hospital que abriu as portas para a delegação, mostrando suas atividades desenvolvidas nas áreas de tecnologia e gestão.

Dessa forma, os participantes da missão puderam conferir, na prática, como funcionam os centros hospitalares mais modernos do Canadá “O objetivo da missão era justamente o de conhecer melhor as tecnologias que aprimoram tanto a gestão quanto a relação entre médico e paciente. Também foram realizadas apresentações mostrando de que forma diversos aspectos da rotina hospitalar – como o tempo de espera nas filas, a duração das cirurgias, o atendimento e a correta destinação dos pacientes dentro dos hospitais, por exemplo – são afetados positivamente pela introdução de soluções inovadoras”, pondera o consultor da CCBC.

Colaboração bilateral

Apesar de não ter sido concebida como uma missão comercial, a Health Innovation Canada poderá possibilitar a aproximação entre instituições e empresas dos dois países – promovendo a troca de boas práticas de gestão e a introdução de tecnologias inovadoras, por exemplo.

“Um dos parceiros canadenses da missão mencionou a questão de boas práticas na área de cuidados com a população mais idosa, além do uso de plataformas digitais para o controle de atividades clínicas. Estes são alguns dos pontos que teriam potencial de sinergia entre instituições brasileiras e canadenses”, afirma Calonga Jr. Ele salienta que poderão surgir no médio prazo possibilidades de cooperação e parceria bilateral com um dos hospitais que participou da missão.

Avaliação positiva

Para a coordenadora de Inteligência Comercial da CCBC, Beatriz Calegare, a avaliação da missão foi bastante positiva entre os participantes. “Percebemos que ficaram bastante satisfeitos em poder explorar o ecossistema canadense como um todo, entrar nos hospitais e ver como as coisas funcionam por lá. E, seguindo o objetivo da missão, conferir como é feita a aplicação da tecnologia no dia a dia dos médicos e pacientes.” A Health Innovation Canada foi uma iniciativa da Comissão de Inovação em Saúde (CIS) da CCBC, em conjunto com a QGA, entidade voltada à acreditação de instituições do setor, e contou com o apoio dos governos do Canadá e de Quebec. A Câmara prepara agora um evento de divulgação dos resultados da missão, a ser realizado em novembro – quando deverá ser anunciada a nova edição da iniciativa, que deverá acontecer no segundo semestre de 2023.

X