INVESTIMENTO

CLIPPING

EDITORIAL

A importância do capital de risco para empresas em crescimento e a inovação

 *Guillaume Légaré

Diante de todos os desafios que se apresentam cada vez maiores inusitados e, agora, intensificados pela pandemia, as empresas que buscam expandir seus negócios ou que, como startups, visam obter rápido crescimento, grande vantagem competitiva e destaque internacional, devem buscar caminhos e soluções inovadores, adequados ao seu grau de risco e estágio evolutivo.

No caso das startups – que já nascem ou no próprio setor chamado de Inovação ou cujo modelo de negócio é, em si, inovador –, necessitam de forte investimento e gestão sólida, logo que iniciam sua jornada. Mas isso não é nada fácil diante da forte competição e das janelas de oportunidade que se abrem e se fecham para empresas que apresentam maior risco para o investidor. 

O financiamento de capital de risco vem de várias fontes, incluindo os chamados investidores “anjos”, capital privado e, claro, bolsas de capital de risco, como a TSX Venture Exchange (TSXV) da Bolsa de Toronto. Entre essas alternativas, as bolsas de capital de risco constituem um elemento-chave. Eles fornecem às empresas financiamento em estágio inicial, enquanto oferecem aos investidores acesso às empresas em seus estágios iniciais de crescimento, permitindo um melhor ponto de entrada e maiores benefícios.

O financiamento de capital é vital para dar a essas empresas em crescimento a liberdade de que precisam para realizar seu potencial. Com as opções possíveis baseadas em dívida, a empresa assume o equilíbrio de risco diretamente. Isso pode ser uma limitação ao crescimento e, em circunstâncias extremas, pode até tornar uma empresa insolvente.

Algumas fontes de financiamento de capital também podem acarretar maior risco de crescimento. Os investidores em ações com muito controle podem limitar a exposição de uma empresa a fundos de crescimento adicionais devido a preocupações com a avaliação ou diluição das ações.

O financiamento de capital de risco por meio de bolsa, como o TSXV, oferece uma alternativa diferente. As empresas em crescimento obtêm acesso aos fundos de que precisam sem ter que enfrentar nenhuma das desvantagens listadas acima. Isso é alcançado graças a uma estrutura regulatória comprovada que protege tanto a empresa quanto o investidor.

A TSXV é uma das poucas bolsa de capital de risco reais da atualidade. Muitas que começaram como bolsas de capital de risco, como a NASDAQ e a AIM se tornaram proibitivas para muitas dessas empresas iniciantes, em função, entre outros, dos custos e tamanho mínimo requerido para atrair o interesse dos investidores.

O fator custo é explicado pelo grande número de regulações, com base no aumento da aversão ao risco, indo contra a criação e a operação correta de uma bolsa de capital de risco. As bolsas de capital de risco devem ter regras, no entanto, dada a sua natureza, deve-se estabelecer um equilíbrio pragmático para proteger os interesses dos investidores, sem sobrecarregar a empresa participante.

A TSXV conseguiu alcançar esse equilíbrio regulatório, assumindo o ônus e a responsabilidade internamente, permitindo assim que a empresa investida cumpra suas obrigações de reporte para com os investidores, sem perder a capacidade de usar tais recursos para o crescimento e atender às expectativas de seus investidores.

O ecossistema único de dois niveis da TSX/TSXV, permite que uma empresa se liste na TSXV e, assim que atingir o momento adequado para atender às crescentes necessidades de capital, gradue-se na bolsa principal, a TSX. Mais de 700 empresas já se formaram na TSXV e se graduaram para TSX.

Porém o que torna a TSX/TSXV mais atraente para as empresas de inovação brasileiras é o seu programa Programa Capital Pool Company (CPC), o mini-SPAC do Canadá, que é um veículo de listagem único, que conecta investidores experientes com empresas privadas. O programa é uma alternativa de duas etapas para o IPO tradicional: a criação do shell de veículos públicos CPC e a Transação Qualificada (QT).

O Programa CPC foi responsável por 50% das novas listagens da TSXV nos últimos 10 anos e, desde sua criação, mais de 2.600 CPCs foram listados e passaram a fazer sua transação qualificada. Após o lançamento do CPC 2.0 os IPOs de CPC na TSXV saltaram 131% no primeiro semestre de 2021 em comparação ao mesmo período de 2020.

O primeiro semestre de 2021 foi de diversos recordes para a TSX/TSXV, que combinadas ultrapassaram CAD$ 4 trilhões em capitalização de mercado pela primeira vez.  Os setores de inovação e tecnologia se destacaram. Somente a TSXVenture Exchange atingiu CAD $ 100 bilhões em capitalização de mercado, sendo o setor de inovação responsável por mais de CAD$ 500 bilhões em capitalização. O setor de tecnologia também teve um bom desempenho em 2021, com financiamentos que chegaram a CAD$ 13,8 bilhões, sendo CAD$ 12 bilhões na TSX e CAD$ 1,8 bilhão na TSXV. 

*Guillaume Légaré, Diretor para a América Latina da Toronto Stock Exchange (TSX) e TSX Venture Exchange (TSVX)

Bolsa de Toronto quer levar startups brasileiras para o Canadá

10 de janeiro de 2021

Com tradição de acolhedor imigrantes, Canadá quer se posicionar como primeiro e maior mercado público…

Telecommunications investment in Brazil to exceed US$4 billion by 2030

04 de janeiro de 2021

After Brazil comes Mexico (US$3.4 billion), Peru (US$2.2 billion), and Colombia (US$870 million), it is these…

Pequenos fruticultores encontram oportunidade na exportação para o Canadá

20 de dezembro de 2021

Brazil's Eletrobras to invest $8.5 billion until 2026

17 de dezembro de 2021

Brazil’s state-run power company Eletrobras (ELET6.SA), which the government is seeking to privatize, said on Friday it

Por que Canadá tem reserva estratégica de xarope de bordo, 20 vezes mais valioso que petróleo

09 de dezembro de 2021

Pouco depois que vários países, encabeçados pelos…

Brazil’s economic outlook buoyed by big-ticket investments

04 de janeiro de 2021

Conheça os ETFs de criptoativos disponíveis no Brasil e no mundo

28 de dezembro de 2021

O Brasil conta com cinco ETFs de criptoativos para investir, mas países como Bermudas e Canadá se…

Mayor intends to make Rio de Janeiro Brazil’s green investment capital

18 de dezembro de 2021

The City Hall intends to offer tax incentives to companies with carbon neutralization…

 

Open Banking in Brazil: 1 million authorisations for data sharing

14 de dezembro de 2021

The Central Bank of Brazil has announced that in its first 4 months of sharing financial information…

Ministra vai ao Canadá para conversar com fabricantes de fertilizantes

23 de novembro de 2021

País da América do Norte é um dos principais fornecedores globais de…

Conheça mais sobre a Comissão de Investimentos e Infraestrutura da CCBC

Entre em contato com o Departamento Comercial da CCBC

X