CCBC na Mídia

 

Notícias CCBC

Valor do dólar canadense 30% mais baixo que americano incentiva viagens

Valor do dólar canadense 30% mais baixo que americano incentiva viagens

Sabe quem gosta de ir para o Canadá? Brasileiro. Nos últimos quatro anos, aumentou em 75% o número de passageiros do Brasil com destino ao país da América do Norte. Motivada pelo cenário positivo, a Air Canada acaba de inaugurar uma ligação São Paulo-Montreal sem escalas, com voos três vezes por semana e taxa de ocupação nas nuvens – já superior a 90%, em dezembro e janeiro. A duração da viagem é de nove horas.

Como conquistar resultados com políticas e ações de diversidade na empresa

Como conquistar resultados com políticas e ações de diversidade na empresa

Em recente debate na CCBC, a CEO da BRK Ambiental, Teresa Vernaglia, lembrou que a falta de saneamento básico no Brasil afeta muito mais as mulheres. Como? Tudo começa no papel da mulher na família. Segundo a executiva, quando uma criança se contamina na água suja, em geral cabe à mãe levá-la ao posto de saúde – e ficar em casa com o filho até que ele tenha condições de voltar à escola. “Nem sempre o mercado está preparado para lidar com as necessidades dessa colaboradora”, disse.

Brasil vive momento favorável para modernização do setor elétrico

Brasil vive momento favorável para modernização do setor elétrico

Se no começo a história da energia elétrica no Brasil teve como um dos protagonistas o Grupo canadense Light, o futuro do setor no país também pode estar conectado a empresas com sede no Canadá. No início do século XX, o Grupo Light foi responsável pela distribuição de energia no eixo Rio-São Paulo, chegando a oferecer serviços de bondes elétricos e telefonia. Agora, iluminadas pela era digital, empresas canadenses e brasileiras do segmento miram seus holofotes na direção de dados e inteligência artificial, em busca de projetos mais eficientes e sustentáveis.

A musicista canadense que dá aulas em favelas no Rio de Janeiro

A musicista canadense que dá aulas em favelas no Rio de Janeiro

As harpas que a canadense Gianetta Baril traz para dar aulas no Brasil pesam pouco mais de 20 Kg e entram como bagagem extra nas viagens aéreas, protegidas por plástico bolha e papelão. Pesadas? Na história da arte, contudo, a imagem do instrumento é outra. A harpa parece até leve quando observada nas mãos dos anjos. Na sala de aula, trata-se da voz que os alunos de Gianetta aprendem a usar para “cantar com os dedos”, como a musicista diz. Seja qual for a melhor definição, a harpista acredita que as palavras perdem força diante do poder da música.   

CCBC NA MÍDIA

Acompanhe as matérias e artigos sobre a CCBC que estão sendo publicados na mídia nacional e internacional.