Da Reinvenção à Resiliência

Maior festival de criatividade e negócios do Canadá e um dos mais importantes do mundo, C2 Montreal inspira disrupções em versão virtual

Por Estela Cangerana

O mundo mudou, e é provável que sua empresa também. Tempos difíceis exigem soluções criativas. A partir desse pensamento, os organizadores do C2 Montreal, o mais importante festival de negócios e criatividade do Canadá e um dos mais expressivos do mundo, apresentaram uma inédita edição virtual do evento, que trouxe uma nova forma de conectar e inspirar. Durante duas semanas, de 19 a 30 de outubro, foi justamente isso que foi visto: como a inovação e a criatividade podem gerar negócios transformadores, capazes de superar qualquer desafio.

Conhecido mundialmente por provocar seus participantes a pensar e interagir fora do convencional, a reinvenção proposta nesta versão do C2 teve como tema central a Resiliência. Tudo online, mas não menos pessoal. Essa, inclusive, foi uma das maiores lições do festival: provar que é possível levar um evento que prima pela conexão “olhos nos olhos” entre personagens de mundos distintos para mútuas aprendizagens a milhares de quilômetros de distância. A criatividade, mais uma vez, fez do negócio C2 um empreendimento bem sucedido.

A plataforma imersiva desenvolvida para o festival permitiu que cada participante pudesse personalizar sua experiência, seguindo trilhas de programação baseadas em seus interesses, a partir de cinco eixos principais: acelerando a inovação, explorando o novo normal, reimaginando a economia da experiência, reconectando com sua comunidade e corrigindo desequilíbrios de poder.

Para cada um desses eixos foram disponibilizados horas de conteúdo ao vivo, workshops de resolução de problemas, masterclasses com especialistas e espaços de interação com outros participantes, para serem explorados a qualquer hora, por meio de um sistema de streaming on demand. A programação ainda incluiu performances artísticas e musicais nas Sunset Sessions, e experiências gastronômicas nos Culinary Challenges.

Outra característica marcante da edição presencial do C2, a de trazer convidados protagonistas das discussões disruptivas mundiais, também esteve presente online. Entre os pensadores que dividiram suas reflexões com o público esteve a ativista co-fundadora do movimento Black Lives Matter, Patrisse Cullors, que chamou a atenção para a necessidade de uma conversa honesta sobre justiça racial. “Pare de usar as palavras diversidade e inclusão. Desafie-se a começar a pensar em um local de trabalho que seja anti-racista”, reforçou, encorajando todos a se engajarem de fato, para que a mudança aconteça.

A importância da ação de cada um também foi a tônica da conversa com a atriz e ativista Jane Fonda, que falou com paixão de iniciativas na área ambiental. “A crise climática é a grande sombra existencial que paira sobre todos nós. Estamos começando a testemunhar o desenrolar da vida planetária”, disse. “Se você é ignorante, isso não é bom, mas você simplesmente não sabe. Mas, se depois de saber, você se afastar, será parte do problema”, completou.

Além dela, outros convidados a compartilhar suas experiências com o público foram a atriz e ativista Jameela Jamil, o autor canadense-britânico Malcolm Gladwell, a gamer e líder feminina  Stéphanie “missharvey” Harvey, a atriz e empresária Gwyneth Paltrow e o guru do empreendedorismo Gary Vaynerchuk.

Braindates

E por que não encontrar a sua “alma gêmea nos negócios” virtualmente? A plataforma Braindate, que se propõe a conectar pessoas com base em interesses comuns no C2 presencial, também aconteceu na versão online. A tecnologia permitiu aos participantes compartilharem suas ideias e conhecimentos uns com os outros, individualmente ou em grupos, seja pela inclusão de seus próprios tópicos, ou pela interação a partir de algum tema postado por outra pessoa.

Foram encontros virtuais e trocas de visões entre executivos e profissionais de mais de 60 países, incluindo o Brasil. A comitiva brasileira se fez presente em iniciativas como a da CCBC e a do Escritório do Quebec em São Paulo. O Escritório organizou uma missão virtual comercial paralela ao evento, conectando empresas brasileiras e quebequenses do setor de indústrias criativas, com resultados muito positivos.

Já a CCBC, que é uma das principais apoiadoras do evento no Brasil, foi a responsável pela participação de um grupo de empresas do País pela terceira edição seguida. “O C2 é sempre uma ótima oportunidade de fazer conexões e vivenciar experiências construtivas, ampliando o horizonte dos negócios. Uma característica marcante dos eventos presenciais em Montreal é a capacidade de surpreender os participantes. Passada a pandemia, nossa expectativa será com o que a organização nos reservará para 2021”, afirmou o diretor de Relações Institucionais da Câmara, Paulo de Castro Reis.

Quem já experimentou as duas versões do evento confirma, como o CEO da Empathy Company e diretor de Relacionamento da Associação Brasileira de Empresas de Design (Abedesign), Gabriel Lopes. “Ainda estou experienciando o conteúdo gravado (da edição virtual), que é de extrema relevância. Mas quem participou apenas da versão digital ainda precisa viver o C2 em Montreal”, concluiu.

A próxima edição presencial do C2 Montreal, prevista para 2021, mais uma vez contará com uma missão brasileira capitaneada pela CCBC. Mais informações pelo email [email protected]

Conheça também o
X