Como sua empresa pode se beneficiar com a inteligência artificial

Carros que dirigem sozinhos, softwares que escrevem textos jornalísticos, geladeiras que avisam ao supermercado que um produto acabou, autorizando a compra de novas unidades. Sempre foi irresistível soar futurista ao falar de Inteligência Artificial (IA). A diferença é que ela nunca foi tão real quanto agora. Esses e outros exemplos já estão em prática e a tendência é haver cada vez mais – inclusive no ambiente corporativo.

Top of mind em inovação, o Google anunciou no ano passado que vai oferecer US$ 25 milhões para incentivar projetos de IA que resolvam “alguns dos principais problemas sociais, humanitários e ambientais do mundo”. A Data H, por sua vez, é uma startup com sede em Ribeirão Preto (SP) e associada à CCBC. Em expansão para o Canadá, pretende tornar a IA mais acessível para as organizações, possibilitando a redução de custos de produção e o estímulo a novos negócios.

“Uma das nossas metas é garantir a gestão autônoma de uma empresa até 2020. Estamos construindo um sistema que permitirá à empresa andar sozinha”, antecipa o CEO Evandro Barros, que para isso está aperfeiçoando um de seus produtos, o Mentor+ (saiba mais no quadro ao fim do texto).

Evandro está passando uma temporada no Spark Center, um hub de inovação no Canadá – país considerado a capital mundial da inteligência artificial. A Data H foi convidada a atuar em solo canadense depois de participar no ano passado de um processo local de aceleração. “Em breve vamos contratar pessoas para a filial que abriremos em Toronto”, avisa o CEO, que obteve o startup visa e já deu palestras em eventos da CCBC.

Inteligência Artificial aplicada nos seus negócios

Uma das estratégias da Data H para facilitar o acesso das empresas a essas novas tecnologias é manter no portfólio produtos que contem com algumas das principais habilidades da IA para resolver problemas, como os recursos de visão computacional, processamento de linguagem natural, extração e mineração de dados.

De acordo com a demanda de cada cliente, os produtos da Data H podem ser então customizados. “Se você começa do zero, o custo é muito alto. No nosso caso, partimos de um alicerce pré-moldado para atender ao que a empresa precisa”, explica Evandro.

Como a IA é desenvolvida à base de dados, em muitos casos fornecidos pela inteligência humana, a falha na reunião de informações pode encarecer e até adiar um projeto de modernização do negócio.

Evandro cita o exemplo de uma instituição educacional onde a secretária marcava a opção “mudou de cidade” como motivo de saída para todos os alunos que cancelavam suas matrículas. “Às vezes uma empresa precisa se organizar antes de iniciar um projeto. É o que chamamos de pré-inteligência”, conta o CEO da Data H, que também auxilia o cliente nessa fase.

Conheça os produtos da Data H, que chegam a setores como saúde, educação, mineração, cybersecurity, mobilidade, entre outros:

Mentor+

Tem foco em números e finanças. Facilita a gestão corporativa por meio da avaliação de inúmeras variáveis, agilizando a tomada de decisões. Monta dashboard automatizado, cria visão de fluxo de caixa, risco, previsão e controle. Compara números, busca sazonalidade e faz predições, acompanhadas de análises diversas. Por meio de processamento de linguagem natural, o usuário consulta o sistema por voz.

Mr Turing

Foco em texto. Muito útil para estudantes, também na consulta a manuais e arquivos das empresas. Espécie de Siri corporativa, na qual o usuário insere as informações de centenas ou milhares de páginas, em formatos como PDF e Word. Depois desse “treinamento”, o sistema organiza e separa os dados, estando apto a responder às dúvidas das pessoas por voz.

Noleak

Selecionado pela Singularity University como projeto de impacto global. Realiza autenticação contínua. Isto é, sem pedir senha ou fazer uso de tolkien, confere a identidade do usuário por meio da forma como ele digita ou usa o mouse. Um teste com 500 pessoas foi realizado na mais recente edição da Campus Party. Resultado: ninguém conseguiu enganar o sistema.

“Estamos começando um projeto voltado para empresas de transportes, em que a inteligência artificial reconhece o modo como cada motorista de caminhão dirige. O software poderá emitir um alerta de acidente, direção perigosa e até risco de roubo de carga”, conta Evandro.

Synkar

Útil nos setores de veículos autônomos, entregas autônomas, plantas industriais e até resgate em locais extremamente danificados. Sem usar os recursos de mapeamento 3D via satélite, o veículo chega à área determinada, olha e se orienta de maneira independente. Muito usado por empresas de mineração, que atuam em terrenos sem demarcação que sofrem alterações diárias em seus trajetos.

Conheça também o
X