Em busca da melhor experiência para os brasileiros no Canadá

Para Lina Donnard o mundo nunca teve fronteiras. Nascida em Belo Horizonte, estudou em escola italiana. Ao entrar na faculdade de Relações Internacionais, descobriu um programa de imigração para o Quebec. Com ascendência francesa, hoje vive em Montreal, cidade bilíngue onde se apaixonou pela combinação da influência americana com o estilo europeu. Na área corporativa e no meio universitário, assumiu a missão especial de ser uma ponte entre o Canadá e a América Latina.

Lina é consultora em negócios internacionais e educação, atuando também como coach. Com a autoridade de quem possui experiência profissional em mais de 15 países, não tem a menor dúvida de que escolheu o destino certo. “O Canadá é muito acolhedor para o imigrante, diferente dos EUA de Trump e da Europa dos movimentos populistas. Aqui existem grandes iniciativas oficiais de incentivo ao estrangeiro”, diz. Em dezembro do ano passado, por exemplo, a prefeitura de Montreal anunciou um plano de US$ 24 milhões para integrar os imigrantes à vida local.

Toda essa diversidade favorece um ambiente de negócios estimulante, que Lina observa como consultora do QG100, uma organização sem fins lucrativos composta pelos CEOs das 100 maiores empresas do Quebec com presença internacional, para compartilhar conhecimento e ajudar na tomada de decisões com impacto global. Por circular tanto no meio acadêmico quanto corporativo, Lina criou também uma ONG. Em 2016 e 2017, a Mission Abroad levou estudantes para uma viagem internacional, com visitas à sede de grandes instituições, como ONU, Pentágono, FMI e entidades da União Europeia.

Facilitando a vida de empresas e imigrantes brasileiros no Canadá

Além de prestar consultoria para estudo e abertura de novos mercados, projetos de cooperação internacional e de integração do imigrante ao mercado de trabalho, Lina tem uma forte atuação junto às universidades. Durante seis anos, ela foi embaixadora da Universidade de Montreal e deu mais de 100 palestras sobre orientação de carreira. “100% das pessoas que fizeram coaching acadêmico comigo foram admitidas em universidades e 70% delas conseguiram bolsa”, conta.

Lina considera que um dos seus principais diferenciais é a trajetória sólida, de quem passou por diversas etapas da experiência canadense, desde a adaptação a um novo país, ao processo seletivo para ingressar na universidade e à entrada no mercado de trabalho.

A aproximação com a CCBC foi natural e é antiga, desde os tempos em que representava a Universidade de Montreal. Uma das atividades mais recentes da Câmara em que a consultora marcou presença foi no lançamento do escritório da CCBC em Montreal, em novembro de 2018.

Conheça também o
X