Educação em tempos de COVID-19

Descubra os impactos da pandemia nos planos dos estrangeiros que pretendem ir ou já estão estudando no Canadá.

Por Estela Cangerana.

A educação internacional, assim como quase todos os outros setores, não conseguiu escapar dos efeitos da pandemia global causada pelo novo coronavírus. Mas isso não significa que o sonho de estudar no Canadá, nutrido por muitos brasileiros, chegou ao final. Se para alguns o adiamento parece inevitável, para outros a quarentena pode trazer oportunidades. Segundo os especialistas, antes de qualquer decisão nesse sentido, é importante entender a situação atual do Canadá e os objetivos pessoais de cada estudante.

“Caiu um balde de água fria em todo mundo. Todos foram pegos de surpresa e todos os sistemas afetados, inclusive o de imigração”, conta a consultora de imigração Marina Snyder. O governo canadense fechou as fronteiras a partir de 18 de março. Desde então só é permitida a entrada no país de canadenses e residentes permanentes. “Mas há exceções nessa decisão, que incluem os estudantes internacionais que tenham tido sua permissão de estudos aprovada até o 18 de março”, ela explica.

Os departamentos de imigração e os consulados continuam trabalhando, mas com capacidade reduzida e foco no atendimento de casos essenciais e/ou emergenciais. Todo o atendimento e os procedimentos só são feitos virtualmente. “Ou seja, se o seu status no Canadá está para vencer e é necessário fazer a extensão, ela tem que ser feita online. Os processos não serão rejeitados por documentos não coletados por conta do coronavírus, mas os prazos serão estendidos”, afirma Snyder.

A consultora alerta para a importância de se planejar com antecedência por conta do cenário atual. “Neste momento não se deve considerar os prazos normais definidos nos sites oficiais, porque o atendimento reduzido gera atrasos. Tudo está mais lento. Por isso, reveja seu planejamento”, ensina. A atenção especial deve ficar por conta de quem planejar começar seu curso nas turmas de setembro e ainda está no Brasil. “Se você queria vir para setembro e ainda não pediu a permissão de estudos, é melhor postergar para as turmas de janeiro”, diz Snyder.

“A situação em setembro ainda é um ponto de interrogação, mas em relação ao cenário de janeiro, nós estamos mais confortáveis”, confirma o diretor comercial da consultoria especializada em educação e imigração Canadá com Você, Luciano Tavares. Por outro lado, ele lembra que, por conta da pandemia, muitas oportunidades também se abriram. “Há cursos que custavam cerca de 280 dólares canadenses por semana, que passaram para até 100 dólares a semana. Além disso, agora é possível fazer o curso preparatório de inglês em nível acadêmico a partir do Brasil, antes de viajar”, revela.

Segundo Tavares, neste momento, para quem pretende ir estudar no Canadá, “o plano não precisa parar, mas apenas ser redesenhado”. Ele, a consultora Marina Snyder e o presidente da Canadá com Você, Eduardo Flit, realizaram um webinar gratuito, com o apoio da CCBC, para tirar as dúvidas dos estudantes.

Assista a gravação do webinar em https://youtu.be/IEKfn0V1_8A

Conheça as dicas dos especialistas para não perder a viagem:

  • Atenção aos prazos: departamentos de imigração e consulados estão trabalhando com capacidade reduzida e apenas online. Por isso, considere atrasos nos prazos de atendimento às solicitações;
  • Atenção aos prazos 2: se você já conseguiu sua permissão de estudos para um curso de setembro e ele foi adiado para janeiro, fique atento ao período da permissão. Se ela acabar antes do novo prazo de estudos, será preciso pedir sua extensão. E se houver troca de escolas é preciso alterar também o número de registro da escola no documento;
  • Muitos colleges e universidades estão oferecendo cursos online, mas é preciso ficar atento caso o interesse seja também o de conseguir a permissão de trabalho para o período posterior à graduação ou pós, o chamado PGWP. Se parte do curso é feito à distância, fora do Canadá, esse período pode acabar sendo descontado do período total que será concedido para o trabalho depois;
  • Quem já está no Canadá e tem permissão de estudos não pode ficar mais de 150 dias fora da escola. Então, se seu curso foi cancelado ou encerrado, é preciso se matricular em outro para manter a autorização de permanência no país;
  • Se você é um estudante internacional ou trabalhador estrangeiro e sua ocupação foi afetada pela pandemia, você pode ter direito à ajuda emergencial de 2 mil dólares canadenses mensais que o governo está oferecendo aos trabalhadores prejudicados. Vale conferir os detalhes dessa regra;
  • Alguns colleges e universidades estão devolvendo valores já pagos em tom de ajuda financeira e há programas em conjunto com empresas para apoio financeiro e para doações de bolsas de alimentos;
  • E não se esqueça: quem chega no Canadá precisa cumprir quarentena de duas semanas.
Conheça também o
X