Brasil e Canadá intensificam relações comerciais

Soma de exportações e importações em 2021 confirma tendência de aumento no intercâmbio entre os dois países

Por Sérgio Siscaro

A superação da etapa mais aguda da pandemia da Covid-19 trouxe, ao longo de 2021, um clima de otimismo na recuperação econômica diante dos prejuízos trazidos pelo novo coronavírus em 2020. Este fator contribuiu para manter o ritmo de intensificação das trocas comerciais entre Brasil e Canadá durante o ano.

De acordo com informações da balança comercial, em 2021 a corrente de comércio (ou seja, a soma entre exportações e importações) entre os dois países saltou 21,5%, passando de US$ (FOB) 6,153 bilhões para US$ (FOB) 7,478 bilhões. Dados da análise Quick Trade Facts, produzida pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC), indicam  que esse crescimento no intercâmbio comercial foi consistente ao longo do ano, elevando-se de trimestre a trimestre – de US$ (FOB) 1,4 bilhão entre janeiro e março até US$ (FOB) 2,4 bilhões entre outubro e dezembro.

A corrente de comércio mostra como o processo de crescimento nas trocas comerciais entre Brasil e Canadá tem ocorrido de forma consistente ao longo dos últimos anos. Em 2016, a soma das exportações e importações era de US$ (FOB) 4,23 bilhão – montante que apresentaria um crescimento de 76,7% até o ano passado.

Os dados detalhados do intercâmbio comercial entre Brasil e Canadá em 2021 podem ser conferidos na última edição do Quick Trade Facts, disponível neste link.

Manufaturados se destacam

As vendas brasileiras ao Canadá totalizaram US$ (FOB) 4,9 bilhões em 2021 – um aumento de 16% na comparação com 2020, quando totalizaram US$ (FOB) 4,23 bilhões. De acordo com a análise do Quick Trade Facts da CCBC, um ponto que chama a atenção é a participação maior de produtos manufaturados na pauta de exportações, que passou de 34,8% para 39,2%. Observou-se também um incremento nas vendas de produtos básicos, de 7% para 7,5%; e uma queda nos semimanufaturados, de 58,1% para 53,2%.

Em termos de participação na pauta de exportações brasileiras ao Canadá, destacou-se o grupo que reúne pérolas naturais ou cultivadas, pedras preciosas ou semipreciosas e semelhantes, metais preciosos, metais folheados ou chapeados de metais preciosos (plaquê), e suas obras; bijuterias; e moedas. Esses produtos foram responsáveis por vendas de US$ 1,59 bilhão no ano passado – o que correspondeu a 32,4% do total das exportações ao Canadá em 2021.

O Quick Trade Facts também mostra produtos que, apesar de terem uma participação menor nas vendas ao Canadá, vêm demonstrando tendência de crescimento – e que podem ser importantes nichos para exportadores brasileiros interessados no mercado canadense. Alguns exemplos de categorias que apresentaram elevação nas vendas entre 2020 e 2021 são: peixes, crustáceos e moluscos (167%); sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens (121%); leite e laticínios (115%); carnes e miudezas (98%); e açúcares e produtos de confeitaria (56%).

Importações em alta

Revertendo o fraco resultado verificado entre 2019 e 2020, quando registraram um crescimento de 20,25%, desta vez as importações de produtos do Canadá recuperaram sua importância nas trocas comerciais entre os dois países. Ao longo de 2021, essas compras somaram US$ (FOB) 2,57 bilhões – uma elevação da ordem de 33,8% diante do US$ 1,9 bilhão contabilizado no ano anterior.

A proporção de produtos semimanufaturados adquiridos do Canadá tem aumentado de forma consistente – 45,4% entre 2019 e 2020; e 58,9% entre 2020 e 2021. Já a parcela de manufaturados caiu de 48,1% para 36%, ao passo que a de produtos básicos encolheu de 6,4% para 5,2%.

X