Abicab, Apex e CCBC se unem para promover doces brasileiros no Canadá

Parceria apoiará empresas que integram o Projeto Brasil Sweets and Snacks a alcançarem o mercado canadense, com abertura de oportunidades e rodadas de negócios

Por Estela Cangerana

O Canadá já estava na mira das indústrias brasileiras de chocolates, amendoins, balas e snacks, mas agora a conquista desse mercado ganhou um grande facilitador. A associação representante do setor, a Abicab, em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), por meio do Projeto Brasil Sweets and Snacks, acabam de fechar uma parceria com a CCBC para apoiar as ações de abertura do Canadá para os produtos Made in Brazil.

O acordo prevê uma série de ações, entre webinars de apresentação de oportunidades e detalhamento do potencial de mercado, reuniões preparatórias e rodadas de negócio com compradores canadenses. As iniciativas já começaram a acontecer e devem culminar com a participação das empresas brasileiras do setor na segunda edição do Brazilian Week CCBC Online Festival, entre os dias 7 e 10 de setembro deste ano.

Segundo o presidente da Abicab, Ubiracy Fonsêca, a parceria fortalece o trabalho do Projeto Brasil Sweets and Snacks, que tem o Canadá como alvo, devido a seu alto potencial. “Entre 2018 e 2020, o setor apresentou crescimento de 158% em valor nas exportações para o mercado canadense. O ambiente comercial amigável e uma variedade de importadores em todo o país indicam uma boa oportunidade para a entrada de produtos brasileiros”, diz.

“Além disso, o país possui uma grande rede de acordos comerciais e cinco em fase de negociação, um deles com o Mercosul, indicando um futuro acordo de livre comércio, o que intensificará também as relações comerciais do setor de confectionery e snacks com esse mercado”, completa Fonsêca.

Os dados levantados pela ApexBrasil e apresentados em um estudo sobre o setor em 2020 confirmam. Apesar da ainda baixa participação da indústria brasileira de doces no mercado canadense, as exportações vêm crescendo ano a ano desde 2015. “Em 2020, as vendas atingiram US$ 4,1 bilhões, impulsionadas pelos chocolates, que responderam por US$ 2,7 bilhões desse total, uma alta de 1,8% em relação ao ano anterior”, explica o analista de mercado da agência Eduardo Seixas.

De acordo com o especialista, vale destacar também a participação dos snacks que, relativamente, obtiveram o maior crescimento percentual, de 9% em 2020 na comparação com o período anterior. “Os snacks foram a categoria que mais cresceu nos últimos cinco anos e nossa previsão é que continue em expansão nos próximos cinco”, revela.

Confinamento e futuro

O aumento das importações canadenses de produtos brasileiros do setor acompanhou o movimento de expansão desse mercado como um todo no Canadá. O desempenho é resultado de novos hábitos de consumo da população e do aumento da demanda durante o isolamento social e confinamento em casa, devido à pandemia, conforme esclarece o diretor de Relações Institucionais da CCBC, Paulo de Castro Reis.

Segundo ele, os estudos de mercado conduzidos pela CCBC indicam alguns aspectos valorizados pelos consumidores canadenses e que devem ser levados em consideração pela indústria brasileira interessada nesse mercado. “Os canadenses são abertos a novas experiências e à degustação de sabores únicos. Os sabores étnicos, os produtos gourmet e especiais despertam bastante interesse dos compradores. Outro ponto relevante é a preocupação do canadense com o impacto social e ambiental de empresas e produtos”, afirma.

Conheça também o
X