COMISSÃO DE MINERAÇÃO

CM

Coordenação: Paulo Misk (Largo Resources Brazil)

Um dos setores da economia nacional que mais atrai o interesse de empresas do Canadá é o da mineração. Isso se deve não apenas às ricas oportunidades de exploração encontradas em território brasileiro, mas também ao elevado nível de organização da indústria mineradora canadense. Alguns dos maiores players mundiais do setor são do Canadá, e a necessidade de tais empresas disporem de informações precisas sobre o ambiente de negócios no Brasil, as mudanças de sua legislação de mineração e os dados sobre as tendências da economia são cruciais para o êxito dos negócios.

Por essa razão, a Comissão de Mineração (CM) da CCBC atua como um fórum de discussão para diversas empresas – das quais a maioria é composta por mineradoras canadenses, mas também inclui outros players que atuam junto ao segmento. São identificadas as principais demandas e necessidades do setor, desenvolvendo-se uma agenda comum e criando-se oportunidades de captação e atração de investimentos canadenses para o Brasil, além do compartilhamento de boas práticas e experiências. Além disso, a CM tem como missão disseminar o conhecimento e viabilizar a troca de experiências e boas práticas entre seus integrantes, tornando-se referência como representante do setor mineral canadense no Brasil.

A Comissão promove encontros e seminários periódicos, além de participar dos eventos mais importantes do setor, como a Feira Exposibram no Brasil e PDAC no Canadá.

O setor de mineração é um dos que mais contribui para a economia do Canadá. Sua importância pode ser deduzida a partir da forte atuação de suas companhias no mercado de capitais canadense – hoje considerado o principal ponto de negociação de papéis de mineradoras do mundo. Em Toronto, as bolsas TSX (Toronto Stock Exchange) e TSXV (TSX Venture Exchange) foram responsáveis por 59% do financiamento global ao setor de mineração no ano de 2017 – e quase 56 milhões de ações do setor foram negociadas, totalizando CAD$ 206 bilhões.

Durante o boom internacional das commodities, na década passada, seu papel foi bastante relevante para capitalizar o setor: de acordo com dados da Ontario Mining Association, entre 1999 e 2009 passaram pelas duas bolsas 80% de todo o financiamento à atividade mineradora no mundo – e 36% de todo o capital acionário levantado globalmente no setor. Em maio de 2018, a TSX e a TSXV contavam com 1.205 empresas listadas do setor, que negociaram nos doze meses precedentes CAD$ 70,74 bilhões.

No Brasil, a mineração é uma atividade econômica importante desde o período colonial – já no século XVII eram promovidas expedições em busca de metais valiosos e pedras preciosas. Em razão de sua grande diversidade de formações geológicas, o país dispõe de recursos minerais variados, que abrangem 23 substâncias metálicas, 45 não metálicas e quatro energéticas. Há mais de 9.400 minas em regime de concessão atualmente, sendo que as 154 maiores têm produção de até 1 milhão de toneladas anuais. O setor mineral brasileiro teve um faturamento de US$ 32 bilhões, e exportou mais de 400 milhões de toneladas, no ano de 2017.

Para mais informações desta Comissão

Conheça também o
X