V Congresso CAM-CCBC Pan-Americano de Arbitragem

São Paulo no centro da Arbitragem mundial

 

A Arbitragem no Brasil e no mundo, na visão de alguns dos maiores especialistas do setor. Essa é a tônica do V Congresso CAM-CCBC Pan-Americano de Arbitragem, que será realizado nos dias 22 e 23 de outubro, no Hilton Hotel, em São Paulo. O encontro já entrou para o calendário como um dos principais eventos da cidade na área jurídica e este ano vai inaugurar os trabalhos da primeira São Paulo Arbitration Week.

 

A capital paulista tem vivido um crescimento sem precedentes no setor nos últimos anos, concentrando a maior parte dos processos de arbitragem do Brasil e escritórios no grupo dos mais bem preparados do país. Entre os seus principais objetivos, o Congresso busca fomentar a troca de experiências por profissionais de diferentes nacionalidades e promover a vocação de São Paulo como sede de arbitragens internacionais.

Este ano, o tema do evento é “Hoje e Amanhã na Arbitragem”. A abertura será um café da manhã com palestra de Paula Costa e Silva, professora catedrática da Universidade de Lisboa, mediada por Peter Sester, docente da HSG Law School, na Suíça. Os dois vão conversar sobre a experiência internacional na administração dos conflitos societários.

Na sequência, um dos destaques da programação é o painel “Arbitragem e Poder Judiciário: como está a relação?”, que debaterá assuntos como a cooperação do Tribunal Arbitral com o juiz de direito. Numa época em que normas regulatórias têm ganhado cada vez mais espaço nas empresas, o painel “Arbitragem e Compliance” buscará medir o impacto do amadurecimento das regras de compliance nas políticas de resolução de disputas empresariais. Outro ponto será entender o papel do advogado na criação de regras internas para prevenir disputas.

 

Além de um painel exclusivo para discutir a Arbitragem no Direito Marítimo, haverá um dedicado especialmente aos setores de Construção e Energia.

 

Representatividade e diversidade

O CAM-CCBC assinou um termo do Equal Representation in Arbitration Pledge, comprometendo-se a garantir que no mínimo 1/3 do número de palestrantes seja composto por mulheres. Na edição de 2017, a entidade superou a meta, com 40% cumprindo esse pré-requisito. O público total do Congresso ano passado foi superior a 450 pessoas.

Conheça também a
X